IPTU Verde – nova tendência sustentável ganha força no meio político

IPTU Verde – nova tendência sustentável ganha força no meio político

IPTU Verde – nova tendência sustentável ganha força no meio político

Todos já sabem que a geração de energia solar deixou de ser uma previsão futurista do século XX para se tornar uma tendência real e alternativa nesse milênio. Convencidas disso, as grandes empresas já investem no sistema fotovoltaico há anos, como forma de economizar no consumo e, também, dar sua contrapartida perante a sociedade em defesa do meio ambiente.A adoção de práticas e soluções sustentáveis também vem ganhando espaço e se tornando pauta de discussões entre os governos municipais em todo País, visto a urgência em preservar o meio ambiente. A novidade é a aprovação de projetos de lei com a adoção de medidas que preveem a prática através do IPTU Verde.

IPTU Verde é um desconto percentual progressivo dado ao consumidor sobre o IPTU de imóveis que adotam medidas de cunho sustentável, visando à preservação, proteção ou recuperação do ecossistema. O desconto é gradativo e acumulativo, sendo que para cada medida é concedido um determinado porcentual de desconto e, quanto mais dessas soluções são utilizadas pelo consumidor, maior será seu desconto final.

No Brasil, mais de 50 cidades, incluindo Porto Alegre e Caxias do Sul, já aderiram a proposta, um incentivo a mais para aqueles consumidores que já utilizam a nova tecnologia. Além da implantação do Sistema Solar Fotovoltaico, o IPTU Verde possui uma lista de outras práticas que são incentivadas, dentre elas:

  • Sistema de reuso de água;
  • Sistema de aquecimento de água;
  • Sistema de captação e utilização da chuva;
  • Construções com materiais sustentáveis;
  • Arborização no calçamento;
  • Uso de telhado verde;
  • Lâmpadas LED;
  • Implantação de bicicletários;
  • Coleta seletiva;
  • Instalação de pavimentação permeável;
  • Telhados com cobertura verde;
  • Adoção de esquadrias externas com tratamento acústico.

Enfim, se lhe faltavam razões para iniciar uma mudança “verde” em seu lar, chegou a hora de repensar e entrar em ação. Hoje, já é possível se tornar um consumidor consciente, capaz de gerar energia limpa, promover a sustentabilidade e economizar. Se seu município ainda não aderiu à ideia, que tal comparecer a sessão na Câmara de Vereadores e sugerir este projeto ao legislativo. Sua família, seu bolso e a natureza agradecem.

Por Alexandra Bitencourt, jornalista.



Posts mais vistos

shares