Energia solar no inverno

Energia solar no inverno

Energia solar no inverno

Com a chegada do inverno e as baixas temperaturas, especialmente em cidades do Sul e do Sudeste do país, muitas pessoas alteram seus hábitos de consumo de energia para o maior conforto. Chuveiros, aquecedores, ferros de passar e secadoras de roupa e de cabelo são alguns dos utensílios utilizados com mais frequência nesta época do ano. Somado às mudanças de consumo de energia no inverno, nos últimos seis anos as tarifas de energia subiram 499% de acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME). Para diminuir o impacto dos custos com a conta de luz no final do mês, uma dica é investir em painéis solares que podem reduzir em até 95% o valor pago à distribuidora.

 

É comum as pessoas acharem que em dias de muito frio não há produção de energia solar. No entanto, os módulos continuam gerando energia com grande parte da sua capacidade, pois o efeito fotovoltaico acontece sob a presença de luz. A Energia Solar Fotovoltaica é a tecnologia que permite transformar a luz do sol em energia elétrica através de módulos solares feitos de material semicondutor. Para gerar energia não é necessário calor, apenas luminosidade, conta Paulo Porcher diretor da SolSul Energia Solar.

No gráfico acima, pudemos perceber que a irradiação solar no RS sofre mais no período do inverno, devido ao deslocamento do sol. Nas outras localidades, a irradiação não possui tanta queda. Entretanto, na média, a irradiação solar no RS é muito semelhante à do estado do Rio de Janeiro.

A publicação da Resolução Normativa 482 em abril de 2012, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e sua revisão, a REN 687/2015, ampliou essas possibilidades, introduzindo o sistema net metering no Brasil, mais conhecido como Sistema de Compensação de Energia. Desta forma, reduziu as barreiras para a conexão de sistemas fotovoltaicos à rede de distribuição, além do aumento do prazo para a utilização dos créditos dos consumidores referente ao excedente da fatura – de 36 meses para 60 meses.

Os sistemas fotovoltaicos podem ser implantados em qualquer localidade que tenha radiação solar suficiente. Ao adquirir um sistema fotovoltaico é importante que a pessoa interessada considere fatores que podem influenciar na performance dos painéis solares como o ângulo ideal para a instalação do sistema. O desempenho vai depender da intensidade da radiação, da umidade do ar e o período de exposição ao sol. Por isso, ao buscar alternativas para amenizar o valor na conta de luz é importante contar com o auxílio de empresas especializadas, além de comparar as opções de sistemas existentes no mercado.

“Transformar a luz do sol em energia não poluente e inesgotável é o futuro. Hoje, ao adquirir a tecnologia o consumidor tem alcançado o retorno do valor investido em um período entre 4 e 8 anos, e não precisa se preocupar com gastos energéticos durante o tempo de vida útil do sistema fotovoltaico que pode ultrapassar os 25 anos. Outro aspecto a ser considerado é que o imóvel que possui o sistema tem uma valorização de até 8%. Essas vantagens aliadas aos aumentos constantes nas tarifas relacionadas à conta de luz e as facilidades de financiamento colocadas à disposição do consumidor fizeram com que o número de unidades instaladas no país aumentasse consideravelmente nos últimos dois anos”, complementa.

Investir em energia solar, hoje, é antecipar uma consciência sustentável que, em breve, será uma tendência irreversível no mundo, dado a necessidade de diversificarmos nossa matriz energética e o tamanho dos benefícios envolvidos.

Por Alexandra Bitencourt, jornalista.



Posts mais vistos

shares