Energia solar: alternativa econômica cada dia mais viável

Energia solar: alternativa econômica cada dia mais viável

Energia solar: alternativa econômica cada dia mais viável

De acordo com o jornal Diário de Pernambuco, publicado em 16 de outubro deste ano, os “brasileiros poderiam ter economizado R$ 2 bilhões na conta de luz com energia solar”, sendo os nordestinos, os mais beneficiados. Isso, se o Governo Federal tivesse iniciado as contratações do formato em 2013, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). O Brasil acabou de acionar o patamar dois da bandeira tarifária vermelha, o que em reais, significa um acréscimo de R$ 3,50 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) à conta de luz. A partir deste aumento, as estimativas de economia chegam até a R$ 8 bilhões.

Atreladas às sucessivas altas anunciadas na conta de luz, nos últimos meses, pelo Governo Federal, dados como este causam indignação e desconforto ao consumidor. Quem paga, sabe o quanto pesa no bolso e, nessas horas, qualquer alternativa viável para economizar é bem vinda. Talvez, por isso, o brasileiro esteja investindo tanto em sistema de captação de energia e explique a projeção feita pela Absolar, até o fim de 2017: a geração de energia solar fotovoltaica no Brasil atingirá o patamar de 1.000 megawatts (MW), um crescimento de 325% em relação à capacidade no início do ano de 235 MW, suficiente para abastecer cerca de 60 mil residências, com até cinco pessoas.

Se este número se confirmar, o País entrará na lista dos 30 principais geradores de fonte de energia solar do mundo, com a expectativa de estar entre os cinco primeiros até 2030, em potência instalada anual. Os investimentos até o fim de 2017 deverão somar R$ 4,5 bilhões. Ecológica e econômica, a energia fotovoltaica domiciliar vem se tornando a melhor opção para quem deseja diminuir a conta de luz.

O Brasil é um dos países com a maior incidência de raios solares, nada mais justo que todo este potencial energético seja aproveitado. Segundo recente pesquisa realizada em Porto Alegre, uma família que consome 300 kv/mês gasta em torno de 160 reais de conta de luz. Se o investimento com geração de energia solar for de cerca de 20 mil, o retorno virá em aproximadamente sete anos. No entanto, o aumento constante dos custos com energia elétrica faz com que esse tempo estimado diminua.

Seja através de iniciativa particular, privada ou pública, captação de energia solar é uma tendência que não tem mais volta. Em algumas regiões do Brasil, como por exemplo em Goiás, diversos projetos sociais habitacionais vêm se beneficiando, com a parceria entre governo federal e iniciativa privada, na compra de micro geradores de energia residencial. Esta é mais uma excelente alternativa a ser pensada pelos outros estados.

Ainda, o desenvolvimento do setor, no Brasil, permitiu a redução de preços na compra de sistemas, e hoje, é em média 80% mais barata. Em algumas regiões, já é mais vantajoso gerar a própria energia com a instalação dos painéis solares no telhado, do que comprar a energia da rede de distribuição.

Por, Alexandra Bitencourt, jornalista.



Posts mais vistos

shares